Imprimir

 

PROCESSO-CONSULTA CFM 1838/88
PC/CFM/Nº 26/1989

INTERESSADO: Conselho Federal de Farmácia

ASSUNTO: Livros "Guia dos Remédios", do médico Darcy Roberto Lima

RELATOR: Conselheiro Waldomiro Dantas

 

O Presidente do Conselho Federal de Farmácia, em Ofício a este CFM, solicita "tomada de posição conjunta" pelos dois colegiados, tendo em vista as impropriedades contidas no livro "Guia dos Remédios" do Dr. Darcy de Andrade Lima.

Comenta o Presidente do CFF que o livro do Dr. Darcy Lima descreve medicamentos de venda livre ao lado dos que devem ser prescritos por médicos, relacionando os seguintes:

1 - Antineoplásicos: ciclofosfamida, methotrexate, prednisona, vinblastina e vincristina.

2 - Anticonvulsivantes: ácido valpoíco, carbamazepina, fenitoina e fenobarbital.

3 - Antibióticos: amoxicilina, ampicilina cefadroxina, cefalexina, cefradina, clindamicina, cloranfenicol, doxiciclina, eritromicina, metampicilina, minociclina, neomicina, netilmicina, nistatina, rifampicina, sisomicina e tetraciclina.

4 - Psicotrópicos: amitriptilina, clorazepato, dipotássico, clordiazepóxido, clorpromazina, flunitrazepan, flurazepam, haloperidol, imipramina, levopromazina, carbonato de lítio, medazepam, temazepam e trifluoperazina.

5 - Cardiovasculares: atenolol, clofibrato, digoxina, diltiazem, dipiridamol, indoramina, dinitrato de isosorbida, lanatosideo, nifedipina, nitroglicerina, procainamida e propafenoma.

6 - Antiparkinsonianos: benztropina, bromocriptina e levodopa.

7 - Hormônios: beclometazona, dexametazona, estradiol, flucitonolona, fluorcortolona, medroxiprogesterona e mestranol.

Critica ainda o Presidente do CFF pelo fato de o referido livro incluir dois medicamentos com dois nomes diferentes, a saber:

1 - Fenitoína (nome comum), a pág. 124, e difenilhidantoína (nome químico da fenitoína, é "errado, pois deveria ser difenilidantoína") à pág. 112.

2 - Procaína (nome comun) a pág. 144, e novocaína (nome comercial da procaína) à pág. 172.

Considera, ainda o Presidente do CFF que "a tentativa de tal publicação, no cômputo geral, estaria a propiciar mais malefícios do que benefícios à sociedade em geral, que induzida a obter a cura pela automedicação não terá, certamente, a resposta esperada".

A publicação do Dr. Darcy Lima, editada pela Editora Abril, é um livro técnico e tem como objetivo orientar os usuários quanto ao emprego de medicamentos, alertando sobre os riscos e os benefícios dos fármacos. Visa, sobretudo, esclarecer a população sobre as conseqüências que podem advir de seu uso indiscriminado, sobretudo porque grande número das prescrições de farmacêuticos nesse país são feitas pelos balconistas de farmácia, certamente despreparados para esse ofício.

Há incorreções no livro do Professor Darcy Lima, e me permito assinalar algumas:

1 - "A ocorrência de pirose persistente ou intensa exige uma investigação, pois pode decorrer de úlcera péptica" (pág. 16). Seguramente pirose é expressão de refluxo gastro-esofágico, e não tem qualquer relação com doença péptica ulcerosa.

2 - " Infecção de garganta... pode ser causada por vírus, com menor gravidade, ou por substâncias irritantes como bebidas quentes ou mesmo alimentos" (pág.17).

3 - Bebidas alcoólicas são desaconselháveis se o paciente estiver fazendo tratamento para infecção urinária, pois o álcool é irritante das mucosas e pode piorar a situação" pág. 30). Certamente a ingestão de bebidas alcoólicas não é recomendável durante o tratamento de qualquer infecção em virtude de o álcool deprimir a imunidade humoral e celular e, dessa forma, tornar mais difícil o controle da doença para a qual o antimicrobiano está sendo utilizado.

4 - "Alguns vermes, como o estrongilóides e o enteróbius, não podem viver por um período superior a 6 meses no organismo humano, e para o desenvolvimento de novos vermes é necessário que os ovos sejam ingeridos e expostos à ação dos sucos digestivos" (pág. 32). Se isso é verdadeiro para o enteróbius, não vale para o estrongilóides, que em virtude do ciclo direto, alternativo, não necessita passar pelo solo; as larvas autoinifestam o portador, penetrando nas paredes do tubo digestivo ou na região perianal, de sorte que a infestação pelo estrongilíodes pode ser indefinida. Há casos de persistência de até 40 anos de infestação por esse helminto. Além disso, na mesma seção, não são mencionados os medicamentos específicos para o tratamento da estrongiloidíase, como cambendazol e albendazol.

5 - "Um simples exame de escarro pode esclarecer o diagnóstico (de tuberculose pulmonar), sem necessidade de gastos com RX ou abreugrafia" (pág. 33). Essa afirmação se aplica aos pacientes bacilíferos, que como se sabe não são os únicos portadores de tuberculose pulmonar. Os pacientes não bacilíferos, quando não são investigados com exame radiográfico, provavelmente ficarão sem diagnóstico. Ressalva-se, no entanto, que é essa a proposta da OMS para rastreamento da tuberculose pulmonar.

6 - "Ceratoliticos como o ácido acetil-salicílico" (pág. 38). O ácido salicílico, e não o acetil-salicílico, é ceratolítico.

7 - No capítulo dos remédios e o fígado há uma série de incorreções e de impropriedades, que por serem muito numerosas não serão discriminadas (pág. 42 e 43).

8 - "A glomerulonefrite pode ser combatida com antibióticos, desde que seja causada por bactérias tipo estreptococo" (pág. 47). O mecanismo fisiopatológico da glomerulonefrite estreptocócica se faz através de resposta imunológica. O antibiótico, quando utilizado, não interfere com a doença, mas sim faz a profilaxia de novas infecções estreptocócicas.

9 - Doenças como úlcera péptica ... respondem basicamente a um tratamento dietético efetuado sob supervisão médica" (pág. 60). Sabe-se hoje, que a alimentação não tem papel nem na patogênese nem na cicatrização da úlcera péptica.

10 - "Aftas são comuns em adultos e crianças, podendo ser controladas com uso de bicarbonato de sódio" (pág. 60). O tratamento atual para as úlceras aftosas idiopáticas de boca consiste de corticóide tópico (Produto comercial "Oncilon-A em orabase" ) .

11 - O livro relaciona, entre os "principais antiácidos", os produtos "Alka-Seltzer" e "Sonrisal", preparações indesejáveis porque contém ácido acetilsalicilico em sua formulação. Inclui, ainda, entre os mesmos medicamentos, o Caved, que não está comercializado no Brasil.

12 _ "O câncer de pulmão... é o segundo mais freqüente na mulher, depois do tumor de mama" (pág. 67). Não é correta a afirmação.

13 -" Toda pessoa acima de 50 anos que apresenta sangue na urina deve procurar atendimento médico imediato". A medida deve ser estendida a todas as pessoas que apresentem hematúria macroscópica , independentemente da idade.

14 - Entre os "remédios anticancerosos" (pág. 70), relaciona "linfoma" para tratamento de câncer genitourinário.

15 - Na ressuscitação cárdio-pulmonar (pág. 72) diz textualmente: ''Coração. após palpar o pulso femural (no fêmur)". Mais apropriado seria na região inguinal ou na virilha.

16 - "Caso o corte tenha sido feito com material sujo, como pregos enferrujados ... é importante uma injeção para prevenir o tétano" (pág. 75). Certamente que ferrugem não transmite o bacilo tetânico.

Apesar de todas as imperfeições, o livro do Dr. Darcy Lima, que é Professor Adjunto de Farmacologia Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, é bem intencionado e, salvo melhor juízo, após devidamente corrigido , pode ser útil à comunidade. Creio que se deva dar ciência ao mesmo dessas incorreções que para possam ser incluídas em eventual futura edição, e que se informe ao Sr. Presidente do CFF dessa decisão.

 

É o Parecer.

Brasília, 21 de setembro de 1989.

WALDOMIRO DANTAS

Conselheiro-Relator

Aprovado em Sessão Plenária

Dia 21/09/89